Pesquisar este blog

sexta-feira, setembro 27, 2019

Qual a diferença entre Ifá e o jogo de búzios

Complemento

Depois de concluído o texto original eu observei que faltaram algumas informações sobre o tema, ligadas a forma de uso dos dois oráculos. Desta maneira estou completando aqui. O texto inicial esta em:
Diferença entre Ifá e jogo de búzios
A forma de usar os 2 oráculos é bem distintas, assim vou explicar a seguir.

No jogo de búzios, os búzios são deixados cair sobre uma superfície (o tipo não importa) e as seguintes características são usadas para determinar sua interpretação, lembrando que não existe um padrão, existem várias técnicas e falar sobre esse tema é bem complicado, assim, tenham atenção nas características principais e não nos detalhes:
1. É observada a quantidade de búzios total que cai aberta. Esse número de búzios determina um Odù ou um orixá (Òrìṣà). Isso varia de técnica de interpretação. Sendo uma coisa ou outra não importa, Odù ou orixá (Òrìṣà) vão significar para o olhador significados pré-determinados.
2. Além da quantidade principal o olhador divide a caída de búzios em caídas menores de búzios abertos separados por búzios fechados, descontinuidades. Essas quantidades menores, ou grupamento de quantidades menores trazem novas interpretações seja por Odù ou por orixá (Òrìṣà).
3. A posição dos grupamentos menores faz diferença. A área é dividida em setores e cada setor tem um significado especial, assim, é feita a análise daquela sub-caída naquele setor.
4. Os búzios também podem formar grafismos e esses grafismos podem trazer novas informações ao olhador.
5. Novas caídas podem ser feitas. Existe um padrão de 4 caídas, no qual as 2 primeiras indicam o problema e as demais trazem os trabalhos a serem feitos. A combinação da primeira caída com a segunda também traz novos significados bem como adicionalmente as demais, assim repetições de caídas tem significados especiais.
6. Algumas pessoas podem fazer mais do que 4 caídas, como eu disse isso varia da técnica. O padrão de 4 caídas com o uso das 2 primeiras para o significa é um padrão que se aproxima de Ifá.
7. Por fim, a mediunidade do olhador pode adicionar informações.
Desta forma, como eu disse, o jogo de búzios é muito rico em informações e detalhes.
No caso de Ifá a forma de consultar e bem diferente:
1. O Bàbáláwo usando Ikin ou opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) Ifá determina qual o Odù da consulta. No caso do opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é apenas uma caída e o Odù é desenhado, com Ikins é um processo bem mais lento.
2. O Odù que saiu é o que determina a mensagem principal do oráculo. Além disso na análise é usado o Odù inverso da consulta o Omo Iya.
3. Após determinar o Odù principal é determinado que se eles está em Ire (positivo) ou Ibi (negativo). Essa determinação traz um novo Odù. Essa determinação assim como as seguintes são feitas usando o Ìbò, que é uma forma de interação do oráculo com o consulente e que impede o Bàbáláwo de direcionar a consulta. Existem Bàbáláwo que não usam Ìbò.
4. É determinado, com novas caidas, qual é o tipo de Ire ou Ibi.
5. É determinado que traz ou quem salva esse Iré ou Ibi
6. É determinado qual é o ebó (Ẹbọ) e trabalho a ser feito
Com isso tudo determinado o Bàbáláwo inicia então a análise da consulta. Isso significa na prática que o Bàbáláwo fica trabalhando sozinho um bom tempo, para então falar com o consulente.
O diálogo com o consulente pode seguir e caminhos. O tradicional onde o Bàbáláwo tem que contar histórias baseadas em versos, várias delas e depois conversar para através da reação do consulente às histórias ele ir convergindo para descobrir o problema do consulente. O Bàbáláwo deve usar seu conhecimento sobre o Odù mas, principalmente, usar as histórias para interagir com o consulente.
Modernamente, os Bàbáláwo, principalmente da tradição cubana ou gente que aprendeu com eles não usa as histórias, eles sabem os significados do Odù, que estão documentados nos tratados, mas de forma às vezes falha, e dizem para o consulente o seu problema baseado nesse conhecimento de significado.
Além do Odù principal, o Bàbáláwo pode usar mais 2 Odù na sua análise (3 Odù), mas, isso varia, em escolas que podem indicar mais. Isso é real e eu considero um exagero, o Odù principal é a mensagem primária de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà), mas, enfim, como eu disse isso pode mudar.
Como os búzios, Ifá usa vários Odù para interpretar uma consulta, entretanto, como pode ser observado, não é tão rico e interativo como os búzios. Os métodos são organicamente diferentes.
Existe uma tradição de jogo de búzios por Odù que também usa histórias, mas ela é muito rara. O normal é que o pessoal do Candomblé, antes de Ifá, não entendia o que fazer com as histórias.

Entre outras menores, a principal diferença entre os 2 oráculos deveria ser a forma de se chegar ao problema. Nos búzios várias sinalizações indicam os possíveis problemas e dessa forma o olhador já traz as questões para o consulente confirmar. Em Ifá os significados pré-determinados deveriam ter muito pouca relevância, ou melhor, menos importância, o importante tem que ser:

- A participação do consulente através do uso do Ìbò que impede que o Babalawo somente saiba de respostas junto como consulente. Eu considero o uso do Ìbò imperativo em uma consulta de Ifá e uma dos elementos de maior diferença com os Búzios, porque nos búzios o olhador te fala o que tem que fazer, por exemplo, sem chance do seu ori, seu anjo da guarda confirmar.

- A análise do problema do consulente a partir da interpretação conjunta das histórias. Interpretar histórias é um processo muito rico que impede que se tenha uma pré-determinação do problema, voc6e só chega ao problema real, junto com o consulente.
Como podem ver, ambos oráculos usam múltiplas informações em uma consulta, são estruturados em uma fase de análise e outra de determinação dos ebós, mas fazem isso com métodos bem distintos.
É minha opinião que Ifá usando opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é muito similar ao jogo de búzios caso o Bàbáláwo não se atenha a ortodoxia na consulta e queira na verdade ter velocidade. Tem muita gente que se preocupa apenas em tirar o trabalho a ser feito e encontrar o motivo principal da consulta sem explorar mais minuciosamente as informações dos Odù.



Um comentário: