Pesquisar este blog

domingo, setembro 01, 2019

Os instrumentos de consulta ao oráculo do Bàbáláwo.



Odù é o elemento básico e fundamental na vida de um Bàbáláwo. Por essa razão devemos entender porque um Bàbáláwo acha que tudo é Odù, de fato, na vida dele tudo é Odù.
São os versos de Odù que transmitem informações para ele, são os versos de Odù que contêm as mensagens, através de metáforas, que serão usadas para interpretar as consultas e é o Odù que tem as rezas que ele usará e, por fim, é o Odù que trará a energia que ele usará em seu ebó (Ẹbọ). Desta forma o Bàbáláwo vê seu mundo religiosa através de Odù.
Dessa maneira tudo para ele é Odù, incluindo orixá (Òrìṣà), ele tem certeza que orixá (Òrìṣà) é um Odù e que a única forma de um orixá (Òrìṣà) se manifestar é através de um Odù, como já citei.
Os instrumentos oraculares do Bàbáláwo são todos voltados para esse uso através de Odù e a única forma de obter informação deles é analisando um Odù. Um Babalorixá (Bàbálórìṣà) quando usa seu jogo de búzios conta ainda com sua vidência e os búzios oferecem uma forma de interpretar mais rica em detalhes, mas, para o Bàbáláwo tudo se resume a Odù.
O Bàbáláwo tem 2 instrumentos de consulta ao oráculo, os Ikin e o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀). Ambos são usados para se obter um Odù.
O Ikin é o instrumento principal e maior do Bàbáláwo.
O surgimento dos Ikins como instrumento de oráculo vem através de uma história que está no Odù Ìwòrì Méjì. Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) vivia no Àiyé e tinha filhos, mas, no dia de uma grande comemoração, quando todos deviam prestar homenagem a ele, um de seus filhos o desafiou e desrespeitou e Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) decide partir para o órun (Ọ̀run), através da terra de Olókun.
Com sua ausência as coisas ficam piores na terra e as pessoas tinham dificuldade e não conseguiam resolver, porque as pessoas não tinham mais ele para orientar. Foi feito uma grande oferenda e foram procurar Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) para ele voltar ao mundo, ao Àiyé.
Mas Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) disse que jamais voltaria, mas que deixaria na terra os Ikin, caroços de dendezeiro, que seriam o seu representante no Àiyé e deveriam ser usados para consultá-lo.
Dessa maneira os Ikins são sacralizados e viram a representação de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) no Àiyé, na terra.
Os Bàbáláwo contudo tem muita atividade e demanda e não conseguem atender a todos devido ao tempo requerido para fazer as consultas. Para poder ajudá-lo, Olódùmarè manda para ele um escravo, opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀), que o ajudaria nesse trabalho.
Opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) surge no Odù Ogbè Méjì.
Eu verifiquei a história de opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) em 2 fontes, no Bàbáláwo Faxina Falade e no Bàbáláwo Ayo Salami. Ambas as referências usam versos um pouco diferentes, mas, tem a mesmo conclusão ou mensagem.
A história de Ayo Salami é bem longa e posso resumir dizendo que Olódùmarè envia opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) para Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) na forma de um escravo que ele compra no mercado, era um escravo que tinha o corpo com juntas que rodavam e quando ele se jogava no chão seu corpo formava o Odù. A relação com Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) e seu escravo opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) não eram muito fáceis.
Uma versão desta história é apresentada por Jose Beniste no seu excelente livro, Os Mitos Yorùbá, mas é um pouco diferente e é usada para fazer uma confrontação entre o jogo de búzios e Ifá.
Opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é um auxiliar de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) e é usado para acelerar a consulta. Opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é mais rápido que Ikin mas traz a mesma informação. Ambos os Bàbáláwo, que usei como fonte, dizem que os Ikin são um instrumento mais sério e confiável do que opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀), mas, nenhum dos dois explica o motivo disso.
A unanimidade é baseada na rapidez do opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀), na confiabilidade e na superioridade do Ikin. Isso é muito desconcertante, porque eles afirmam que Ikin é superior mas de forma alguma dizem qual o problema de opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀).
Ayo Salami tem histórias melhores e no Odù Irosun óbara (Ìrosùn Ọ̀bàrà) ele fala de uma história na qual na ausência de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà), opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) trai a sua confiança e tem seduzir suas mulheres. Como castigo por essa traição Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) transforma opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) que era um escravo em uma corrente, a corrente de opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀).
Como eu explico Ifá não tem nenhuma mensagem clara, são histórias que devem se interpretadas como metáforas.
Minha interpretação e conclusão sobre tudo isso é que o Ikin é o instrumento mas completo e o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é um instrumento auxiliar para respostas rápidas. Ikin representa Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) e dessa maneira quando você usa o Ikin você recebe através do Odù a energia de Olódùmarè.
Eu sempre digo para as pessoas que uma diferença fundamental no oráculo de Ifá é que a consulta já é um ebó (Ẹbọ) ou melhor já é o início do ebó (Ẹbọ). Mas, isso, só será verdade se for feita com o Ikin.
Se o Bàbáláwo faz a consulta com o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) ele ganha velocidade e continua contando com o Odù como meio de informação, afinal, o Bàbáláwo só tem isso para interpretar. Mas o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é um instrumento auxiliar, um escravo de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) como diz o verso de Ogbè Méjì. Opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) não representa Órunmila (Ọ̀rúnmìlà) como o Ikin o faz, o verso de Irosun óbara (Ìrosùn Ọ̀bàrà) é, na verdade, uma confrontação do Ikin com o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀).
Não sendo opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) o representante de Órunmila (Ọ̀rúnmìlà), como o Ikin é, seu uso passa a ser de obter respostas rápidas. Eu uso ele muito principalmente quando tenho que consultar o oráculo para ter respostas com SIM e NÃO. Ele é ótimo para isso. Também quando preciso de uma indicação rápida para um problema, mas, não uso quando pessoas me consultam, porque entendo que estaria faltando com elas.
Imagino que a maior parte das pessoas que já consultou Ifá o fez com o Bàbáláwo usando o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀), possivelmente ninguém nunca viu o babalawo usando o Ikin. Pois é, pagaram para ter uma consulta com Ifá e perderam uma parte importante.
Além disso creio que pouca gente teve o seu Odù rezado no opon (Ọpọ́n Ifá) antes de sair. Veja, o Bàbáláwo pode usar o opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) que é mais rápido mas deveria riscar o Odù que saiu no opon (Ọpọ́n Ifá) e rezar 2 ou 3 versos do Odù. Quando um Odù é invocado é necessário rezar os versos do Odù.
Acredito que a maioria esmagadora das pessoas nem recebe nem os Ikins e nem os Odù rezado.
Se você depois procura o Bàbáláwo para fazer os ebós indicados, você recupera essa perda porque no ebó (Ẹbọ) o Bàbáláwo terá que invocar o Odù novamente e dessa forma isso compensa o que você não recebeu na consulta, mas, a opção melhor é você sair da consulta já com o Odù atuando, o que só será realizado com o Ikin.
Esta é minha opinião.
Fazer uma consulta com opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) é uma concorrência direta com o jogo de búzios. Já vi consultas de opele (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) mais rápidas que jogo de búzios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário