Pesquisar este blog

domingo, agosto 22, 2010

Rezando para Xango

As rezas a seguir representam um esforço de tradução de 2 rezas bastante conhecidas de Xango principalmente porque foram divulgadas pelo livro de José Flavio, a Fogueira de Xango, através de um magnífico CD.

No Livro existe a letra em Yoruba e uma tradução que infelizmente é péssima. Não foi José Flavio que traduziu, mas a pessoa que fez viajou na maionese.  Em se tratando de Yoruba tudo pode estar certo ou errado mas existe um pequeno bom senso a seguir.  A tradução do livro não seguiu qualquer bom senso.

Traduzir Yoruba não e fácil, as pessoas acham que simplesmente vão achando as palavras no dicionário, ledo engano. É muito complicado porque pela oralidade tem que se chegar a uma palavra ou conjunto de possíveis palavras. Depois analisar as possíveis traduções e combinações de traduções considerando o sentido do texto, o seu objetivo e convivendo com a dificuldade de palavras que foram aglutinadas (2 palavras viram 1) e erros na oralidade, com o passar do tempo as pessoas falam errado ou trocam fonemas.

Ai existe o caminho fácil que é inventar uma tradução, que foi o caso foi o caso do livro A fogueira de Xango, ou de trocar as palavras por outras conhecidas, que foi o caso do livro seguinte, O banquete do Rei, no qual o tradutor mudou palavras para ajustar a tradução.

O mesmo autor andou fazendo isso posteriormente com diversas cantigas que andou traduzindo e cantando. A dificuldade realmente é traduzir a palavra ou o fonema como ele esta ou como é cantado ou buscar pequenas variações justificadas pelos vicios de oralidade.

Enfim, é por isso que digo que certo ou errado estão muito próximos e é difficil dar razão a alguém. Bom, o texto a seguir foi um esforço no sentido de ser o mais literal possível, representando assim uma versão com grandes possibilidades de estar correta. Muito trabalho foi necessário para chegar nesse resultado.

Como todos sabem o texto é melhor visto baixando o fonte Yoruba indicado nesse Blog. A instalação da fonte Yoruba é muito simples e permite ver todos os textos de forma integral. No texto a seguir inclui a fonética em português.


ọba irú loko
óbá irú lokô
O rei viril
ọba irú loko
óbá irú lokô
O rei viril
iyamase kó nwa
iamasê kô un á
iyamase trouxe-o a vida
ará òjé
ará ojê
nosso ancestre destemido
aganju kò màá njá lẹ́ẹ̀kan
aganju kô maa un já léé kan
aganju nos ensina a sempre vencer de novo
ará làkó láìyà
ará lákô laiá
O membro da comunidade que é autêncico e audacioso
tóbi òrìṣà
tobí orixá
o grande òrìṣà
ọba ṣọ́ ọ̀run
óbá xó órun
o rei nos vigia do orun
ará ọba òjé
ará óbá ojê
nosso rei e lider
ọba ṣọ́ ọ̀run
óbá xó órun
o rei nos vigia do orun
ará ọba òjé
ará óbá ojê
nosso rei e lider


ó níkà, ó níkà
o niká, o niká
ele é cruel, ele é cruel
ará òjé aṣẹ sú
ará ojê axé sú
nosso líder que espalha o axé
Badé, Badé ìjà lóni
Badê, Badê ijá loní
Badé, badé, lute hoje
ó níkà, ó níkà sí ará ìyìn aláde o
o niká, o niká si ará i in aladê o
ele é cruel, ele é cruel, o trovão louva o que tem a coroa
ó níkà
o niká
ele é cruel
ará òjé aṣẹ sú
ará ojê axé sú
nosso líder que espalha o axé
Ṣàngó máṣàì rẹ̀ wá o
Xangô maxaí ré ua o
Ṣàngó não falhará em vir!
Rẹ̀ wa o
ré ua o
ele virá!
Ọ̀ba lojú ma ṣe
obá lojú ma xe
O rei maior certamente virá
Ṣàngó máṣàì rẹ̀ wá o
Xangô maxaí ré ua o
Ṣàngó não falhará em vir!
Rẹ̀ wa o
ré ua o
ele virá!
Ọ̀ba lojú ma ṣe
obá lojú ma xe
O rei maior certamente virá
Ki ẹ òkeerẹ laanú sọ̀ko
ki é oke eré la anú sókô
Que o senhor do seu lugar distante seja piedoso ao jogar suas pedras
àgba aláde ma ṣe
agbá aladê ma xê
ancestre que tem a coroa e trabalha para nós


ọba kao
óba ka o
saudação ao rei
ọba kao
óba ka ô
saudação ao rei
o, o, Kábíèsí ilé
ô, ô, kabiêsi ilê
saudação ao rei dessa casa
ọba ni kọlé
óba ni kólê
O rei diz para construir a casa
ọba ṣe ire
óba xê irê
O rei trará bençãos
ọba njẹ́jẹ́
óba un jé jé
o rei esta pometendo
ṣe ire alado
xê irê aladô
fazer as bençãos do que tem a coroa
bangboṣe obitiko
bangbôxê obitikô
(referência a bangbose)
oṣe kao, o, o, Kábíèsí ilé
oxé ka ô ô ô kabiêsi ilê
saudação ao rei