Pesquisar este blog

segunda-feira, novembro 26, 2012

Como Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) se tornou uma corrente


Em uma história revelada sob Obara Irosun, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) consultou Ifá para saber sobre sua condição. Ele foi questionar por uma boa fortuna. Ao lançar sua adivinhação Ifá disse-lhe para ir para um lugar especial, onde ele seria capturado "como um escravo" Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) não discutiu, nem ao mesmo ele se recusou, ele arrumou sua bolsa e saiu.


Perto do local específico onde Ifá instruiu-o a ficar em uma árvore, havia uma cidade cujo rei havia morrido muito tempo, pois eles estavam procurando para o "escravo usual" para instalar como o próximo rei. Mas, todos os escravos capturados anteriores não foram aceites pelo Ifá.

Não foi, até quando Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) foi capturado quando Ifá disse “sim”, ele é o rei. Imediatamente, começaram os ritos da instalação. Mas em casa, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) deixou sua esposa favorita, que sabia cozinhar sua comida. Somente Firesẹfun sabia cozinhar para ele e temperar sua comida de forma adequada e também que tipo de artigos usar para banhá-lo.

Assim que foi confirmado pelo Ifá, os fazedores de reis não perderam tempo em levá-lo ao banheiro. "Este é apenas um vindo do mato, precisamos tê-lo corretamente banhado antes de ser posicionado no banco dos reis". Sem perder tempo, eles trouxeram a maior esponja ao redor e esfregou-lhe até que eles ficaram satisfeitos. Enquanto eles estavam fazendo isso, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) continuou gritando que ele não tomava banho com esponja, mas eles não ouviram. Logo depois, ele começou a sangrar com marcas de tigre em todo seu corpo.

Depois disso, ele foi servido com alimentos preparados com bastante pimenta e sal. Isso estava se tornando insuportável para ele, e por mais que ele se queixa-se, eles não o ouviram dizendo que não sabiam uma melhor forma de cozinhar. Foi nesta conjuntura que Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) pediu para consultar com um Bàbáláwo. "Como eu vejo Firesẹfun minha esposa? Ele foi convidado a oferecer um rato gigante em particular como sacrifício, e que o rato é o que vive em uma caverna em especial em Ilé Ifè.

Este rato é famoso a todas as pessoas que vivem nesta região. Tão longe quando Ilé Ifè é, ele pediu que os servidores para serem enviados na missão com “não importa o que, certifique-se de voltar com o rato gigante”.

Enquanto isso, na casa de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà), Firesẹfun também ficou preocupada além dos limites. A ausência de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) tinha criado um vácuo para todos os tipos de maus-tratos vindos de Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀), o auxiliar pessoal de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà). Ele já havia tentado todos os esforços para seduzir a esposa de seu mestre, mas ela tinha se recusado. Mas quando ele foi se tornando mais confrontacional, ela resolveu consultar com outro Bàbáláwo. Foi-lhe dito para trazer o rato gigante que vivia em uma certa gruta. A mesma caverna descrita para os servos de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà). Ela também tinha que trazer alguns outros materiais de Ifá, que seriam usados para realizar o sacrifício que permitiriam a ela ver Orunmila (Ọ̀rúnmìlà), seu marido.

Sem perder tempo, ela entrou na floresta com alguns homens para ajudá-la a capturar o rato e se moveu para a parte da floresta para cortar as folhas de Ifá. Enquanto isso, as pessoas enviadas de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) chegaram ao local.

Eles viram os homens com o rato que eles sabem é o único dentro da caverna. Eles pediram que fosse dado a eles porque um rei tinha necessidade dele. O argumento se seguiu a palavras quentes que Firesẹfun ouviu através da floresta. Ela correu de volta apenas para encontrar seus homens trocando socos com alguns homens. Ela nem sequer esperou para ouvir qualquer explicação, ela deu um tapa na cabeça do responsável que estava dando instruções para bater em seu povo. Sem procurar outra desculpa, eles levaram o rato, e prenderam todos os seus homens. “Quando chegarmos ao rei que nos enviou, você poderá explicar por que você tem que bater no seu servo”.

Estava ficando escuro quando chegou à cidade, mas Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) ainda estava esperando por eles. No começo, ele estava confuso em por que eles tinhas que carregar uma mulher, fora de seus pés, em vez do rato os havia enviador. Ele pediu para que a mulher se colocada para baixo para saber o motivo da confusão. Virando-se, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) não podia acreditar no que estava na frente dele, mas desde que seu rosto estava coberto por as contas na coroa, Firesẹfun não poderia vê-lo. Entusiasmado, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) rapidamente removeu as contas da coroa e abraçou sua esposa. Firesẹfun também não perdeu tempo para explicar a razão pela qual ela foi até a caverna e que levou a dar um tapa no escravo, “isso foi porque eu quero ver você de novo que me obrigou a pedir para a adivinhação, o sacrifício de que precisava de um rato gigante que era especificado para ser aquele que vive em uma caverna especial no interior das florestas” Abraçando, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) também narrou seu calvário na nova cidade e ser o novo rei; "eles estavam me dando todos os tipos de coisas que eu não como e eu sei que é só você que pode preparar a minha comida de forma adequada". "Essa foi a razão pela qual eu também pediu a adivinhação", Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) disse. "Olhe para o meu corpo inteiro, você não pode ver listras de marcas feitas pela esponja que usava no banho comigo? "Eles também estavam usando pimenta para preparar minha comida e apesar de meus protestos, eles não mudaram", Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) concluiu.

Mas há mais do que isso, Firesẹfun disse. "Enquanto você estava fora, Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) tentou me seduzir. Ele tentou tudo dentro de sua capacidade de me estuprar, mas eu resisti ". Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀)? Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) exclamou.

Imediatamente, ele ordenou que os escravos fossem a sua antiga cidade para prendê-lo. Após a sua chegada, Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) pediu para confirmar que sua esposa disse; Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀) confessou. Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) posteriormente o amaldiçoou; pedindo que a partir daquele dia em diante: "Você se tornara uma cadeia que todo mundo que é meu devoto podera usar", "você também ira pedir os ratos, peixes e animais, mas você nunca poderá saboreá-los . Todos os sacrifícios oferecidos no rosto de Opon são oferecidos a Ifá e nunca ninguém ofereceu nada para Ópélé (Ọ̀pẹ̀lẹ̀). Enquanto isso sacrificios são oferecidos para os Ikin.

Firesẹfun banhou Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) com algodão e cozinhou sua comida. Eles comeram juntos. Desde este evento se tornou um taboo usar esponja ou outra coisa abrasiva para banhar ifá.