Pesquisar este blog

terça-feira, novembro 06, 2012

Ọ̀ṣun a esposa de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà)

A mulher em Ifá - Parte 3


Talvez uma mulher de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) que merece muito destaque é Ọ̀ṣun. Por um longo tempo, ela foi casada com Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) e através dela, muitas práticas que foram abençoados por Olódùmarè se tornou institucionalizada. Existe no texto sobre eerindinlogun grande referência a importância de Ọ̀ṣun e sua ligação com Ifá.

Foi Ọ̀ṣun que trouxe um programa de iniciação especial chamado 'IFA Elegan (Ifá Ẹlẹ́gán). Isto foi o resultado do fato de que Orunmila (Ọ̀rúnmìlà), seu marido, era uma pessoa que viajava frequentemente. Era Ọ̀ṣun, sua esposa que estaria em casa para tratar as pessoas e atender às suas necessidades, tanto médica como espiritual. 
 
Isso tem duas implicações decisivas, Ọ̀ṣun tinha que fazer alguma coisa para salvar a vida das pessoas e, ao mesmo tempo, manter a consistência de regra e retidão de procedimento que a casa de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) era conhecida. 

Entre as pessoas que vieram ao seu encontro estavam os interessados em serem iniciados para Ifá. Mas, desde que Ọ̀ṣun é uma mulher ela está proibida de ver Odu (ou Olofin). A entidade sagrada do oráculo de Ifá não pode ser vista, exceto se a pessoa é um homem, se ele é iniciado e que lhe seja dado o antídoto para reduzir o efeito da energia que 'Ile Odù' pode ter ao verter sua energia em cima dele.

De acordo com Ifayemi, uma pessoa que é iniciada sem ver Odù será uma Ẹlẹ́gán. Este é o principal modo de iniciação para mulheres mas homens também sê-lo, dependendo do Odù que recebem. Se a pessoa vê Odù então ela será Olodù.

Existe ainda um outro tipo de iniciação, chamada Agbàmátẹ̀, que são aqueles que recebem os Ikin sem necessariamente adquirir conhecimento de Ifá. Podem estar envolvidos em liturgias mas não serão sacerdotes completos.

Ọ̀ṣun também seria lembrada pelos passos que ela tomou durante uma longa ausência de seu marido para salvar as vidas de alguns vizinhos. Tornou-se necessário para ela falar com o Ifá de seu marido sobre os problemas que as pessoas tinham. 

O verso de Ifá diz que Ọ̀ṣun levou quatro peças de búzios do Ifá de seu marido, orou sobre elas e pediu as bênçãos do espírito de seu marido para entrar nos búzios. Nesta época ela ainda não sabia como divinar usando os Ikin. 

Ela, então, usou os Ibo para perguntar qual era o problema, doença, esterilidade ou aborrecimento que a pessoa trazia para ela. Um após o outro, ela iria testar todas as coisas que ela viu seu marido escolher para cada caso. 

Uma vez que o Ibo e os búzios diziam “sim”, ela iria pedir a pessoa para trazer os itens específicos, colocá-los todos em cima de Ifá de seu marido e dizer para a pessoa ir embora. E assim eles ficavam curados. Então Ọ̀ṣun continuou por muito tempo fazendo isso até o retorno de seu marido.

Quando Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) retornou ele via na sua sala muitas nozes de kola, no quintal, viu cabras de diferentes tamanhos e sexos, as galinhas eram incontáveis. 

“Quem possui tudo isso? " Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) perguntou surpreso. 

"Eles são todos os presentes de Ifá que coletei usando estes búzios". Ọ̀ṣun respondeu o marido mostrando os búzios que ela estava usando. Ela também contou os sucessos que ela tinha alcançado.

Na próxima vez que Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) visitou Olódùmarè para dar relatório do que estava acontecendo na Terra, ele narrou o que Ọ̀ṣun havia conseguido usar os búzios e contou sobre todos os itens do presente que ela obteve através de Ifá.

Olódúmarè disse para Orunmila (Ọ̀rúnmìlà) para dar a Ọ̀ṣun 16 Odù semelhantes à adivinhação por Ifá.
"Ela pode usar estes Odù e búzios para o tratamento de clientes que vieram para ela, enquanto você estiver fora da cidade". 

Assim, a adivinhação com 16 búzios começou com Ọ̀ṣun, conforme esta descrito em versos similares de Wande abimbolá descritos na postagem sobre o Eerindinlogun. Esta história aqui é de Ayo Salami.



É importante em Ifá a inteligência e perspicácia em entender a analisar os versos e histórias. Além disso um conhecimento geral da religião e de mais versos torna a compreensão muito maior.

Observem que esta história, narrada aqui, mas já transcrita anteriormente, Fixa a relação de Ọ̀ṣun com Ifá e do oráculo dos búzios com Ifá. Além disso abre a possibilidade de um tipo de iniciação especial, que permite a mulheres se utilizarem de Ifá através de búzios.

Elas serão Elegan (Ẹlẹ́gán), não terão a capacidade ou formação de um Bàbáláwo mas poderão exercer o seu papel. Esta aplicação é bem diferente da atribuição comum dada a uma Apetebi (Apẹ̀tẹ̀bí) que fica encarregada apenas de limpeza e cozinha. Mas de nenhuma forma torna as mulheres equivalentes aos homens no culto.

Uma interpretação mais radical poderia inclusive dizer que como Ọ̀ṣun realizou as coisas através do Ifá de Orunmila (Ọ̀rúnmìlà), seu marido, esta função mais completa poderia estar reservado a esposas de Bàbáláwo, que se utilizariam do Ifá do marido e não de mulheres independentes de Bàbáláwo exercendo Ifá.