Pesquisar este blog

terça-feira, janeiro 08, 2019

João de deus e os demais iguais ou piores


O título é chamativo, não vou falar de João de deus. Esse médium é um espírita ou seja lá o que, porque depois das denúncias os espíritas dizem que ele não é espírita nada e que espiritismo é outra coisa.


De fato nunca sei o que é espiritismo, creio que é um sinônimo de Kardecismo, ou seja, só é espírita quem segue a doutrina de Alan Kardec. Considerando que não gosto de Kardec e muito menos de sua doutrina, creio que devo de fato ignorar os espíritas.


João de deus então é apenas um curandeiro que incorpora espíritos para trabalhar. Imagino que também não seja um Umbandista, dessa forma ele é só ele mesmo. Filho feio não tem pai. Esqueçamos João de deus, os Kardecistas e Umbandistas que falem sobre ele, porque parece que ele é parente deles.


Eu gostaria de falar sobre um problema sério que assola terreiros de Candomblé e centros de Umbanda e que é um problema parente de João de deus, que é a falta de caráter, ética e até promiscuidade que existe no meio.


Certamente muita gente não vai gostar do que eu escrevo, mas, eu escrevo para quem que quer saber.


Atenção, ser sacerdote não dá para ninguém título de pessoa ilibada. Ser pai de santo, Babalorixá, Iyalorixá ou Babalawo não é título de bom caráter, não diz que a pessoa é ética e valores pessoas e morais elevados.


Não existe nenhum controle de qualidade sobre a atividade dos sacerdotes. Cada pessoa é uma ilha e faz o que quer na casa dele. Não deveria, deveria seguir o que aprendeu e se subordinar ao seu iniciador, seguir o que lhe foi ensinado.


O fato de ser um representante do divino não implica que este divino está vigiando ele, que está tomando conta do que ele faz. Vejam o caso de João de deus, o fato dele ele ser um abusador não impediu que ele continuasse a fazer cura e não trouxe nenhuma consequência divina para ele, trouxe agora depois de anos e muitos anos de atuação.


Entendam isso, cuidado onde se metem, as pessoas são o que são, sejam elas sacerdotes ou não, sem esquecer que 70% delas ostenta títulos que não tem que inventaram para si.


Não é uma coisa especial do João de deus, ou do Candomblé ou da Umbanda, TODAS as religiões têm isso, os problema são os mesmos. Veja os problemas com pastores e padres.


Ao se relacionar com uma casa ou pessoa, tenha os 2 pés atrás.


Primeira coisa importante: Todo mundo mente, você inclusive.


Segunda coisa importante, os semelhantes se unem. Observe as pessoas que estão na casa, preste atenção nas pessoas que frequentam e principalmente nos membros da casa. Observe por longo tempo essas pessoas, tenha atenção ao que elas falam. Você vai conhecer uma casa pelos seus participantes. 


Pessoas sem valores estarão juntas, ou melhor pessoas com os mesmos valores estarão juntas. Elas se associam porque terão a mesma ética ou os mesmos valores morais, quero dizer também, a mesma falta de ética e a mesma falta de valores morais.


Não se deixe impressionar pelo “palco da casa” pelo que a pessoa mostra para quem é de fora, pelas giras ou pelos xirês, aquilo é o palco, o espetáculo, a casa de verdade esta nos bastidores. 


Não escolha uma casa por causa das histórias que a pessoa te conta ou dos auto-elogios dela ou pela enorme humildade que ela diz ter, isso é só propaganda, tudo isso acaba depois que você entra.


Conversa não faz ninguém mais importante ou melhor e quando você entra em uma religião você não procura fama, você procura um lugar onde se sinta bem. A sua vaidade e as suas falsas motivações para entrar em uma casa e religião, principalmente a vaidade vão te fazer tomar decisões erradas e a primeira coisa que fará será dizer que foi enganada.


Noventa por cento das vezes ou mais, ninguém é enganado, a pessoa queria estar lá, pediu para ser enganada ou achou que estava se dando bem. Depois é tarde para se arrepender e, normalmente, ela nunca erra, quem erra é sempre o sacerdote que, aliás não a obrigou a nada, ela entrou la porque ela quis.


Terceira coisa importante: tempos religiosos, de qualquer religião, são a maior concentração de psicopatas da face da terra. A chance de você ser um ou ser enganado por um é enorme. 


Não ache que entrará em um lugar familiar que pode levar sua família e filhos. Cuidado muitas casas concentram pessoas promiscuas. 


Lamento dizer tudo isso, mas é verdade.


Claro que todas as casas não são assim, existem pessoas boas, corretas, éticas e com valores elevados. Você precisa procurar essas casas e esses dirigentes, não entre em qualquer lugar.


As pessoas são na religião o que elas são na vida laica delas, na vida pessoal, ninguém fica pior ou melhor por estar em uma religião.


Existe um fenômeno que ocorre em casas religiosas que é o poder virtual. A pessoa, as vezes, é muito simples ou teve uma formação moral e ética fraca ou ruim. Isso não tem a ver com educação formal. Ao virar um sacerdote ele ganha um poder sobre as pessoas que espontaneamente a procuram, uma casa religiosa é uma estrutura hierárquica.


Você junta, falta de caráter, falta de ética com poder e dá nessas casas em que você não deveria colocar o pé. São pessoas que tem problemas de autoestima muito sérios e que essa coisa de poder sobe a cabeça.


Finalizando, religião nenhuma é garantia de retidão. Sacerdote não é um título de caráter. Existem casas boas e casas ruins, você tem que procurar as boas. Não entre em qualquer lugar. Isso não é novidade, sempre foi assim.


Religiões e pessoas que se ocupam em vender facilidades através de feitiços vão atrair pessoas tão malucas e ruins quanto elas, sejam para participar da casa como para se consultar.


Cuidado com quem se mistura.