Pesquisar este blog

terça-feira, março 03, 2015

Bàbáláwo e ética



Eu vejo hoje em dia em Ifá a mesma coisa que já ocorreu com a Umbanda e Candomblé. Pessoas de pouca índole que se dizem baba_qualquer_coisa e que vivem de comércio de favores.

Ifá não é diferente dos demais cultos. É a mesma coisa. Pessoas “compram” títulos, vendem o que não tem e se especializam em ganhar dinheiros dos outros. Nada de ilusões, eles dizem que existem para concertar o mundo mas são apenas feiticeiros comuns.

Não sendo isso novidade para nós, apenas não se espantem. Não esperem encontrar nada especial ou selecionado. Você vai ter que fazer uma peneira ética bem fina para poder selecionar uns de outros.

Claro que existe quem presta e quem não presta. O que não pode existir é a ingenuidade em quem procura um Bàbáláwo, achando que todos são “santos”. Não ha dúvida também que muitas vezes as pessoas que vão se consultar precisaram ser examinadas por médicos, psicólogos, são casos piores que os que as consultam.

Desta forma não se enganem com pessoas que não sabem se comportar como um sacerdote, que não se vestem com algum cuidado, que não se preparam como um sacerdote ou que não as recebam em um ambiente limpo e bem cuidado.

Não se enganem achando que é normal ser atendido por pessoas bebendo, lembre-se que foi procurar Ifá e não a porta de um bar.


Não caiam nas principais histórias que são usadas como caça-níquel:

- Ifá diz que você tem que se iniciar
- você tem que fazer um assentamento de “santo”
- você precisa de vários ebós ou oferendas
- vai ter que fazer sacrifício de vários animais
- vai ter que fazer um bori

Não deixe que o seu ego ou vaidade decida pela sua razão.

Faça um contabilização das coisas certas e coerentes que ele fala sobre a sua situação e das coisas que nada tem haver. Tem gente que fala um monte de coisas muitas erradas e você só presta atenção em um ou outra que tem alguma coisa haver.

Se a pessoa não é coerente e consistente no que fala, te levando para você mesmo entender o seu problema, tenha cuidado. Igualmente tenha cuidado com pessoas que não contam nenhuma história de ifá para você, que não permitem que você interaja com o jogo. 

Evite quem não usa o instrumento chamado Ìbò para obter as respostas. O Ìbò é uma forma de você, de seu Ori participar do jogo influenciando as respostas. Muitos babalawo fazem as perguntas e eles mesmos sozinhos veem as respostas. Isso não é bom. Eles querem apenas rapidez na consulta.

Tenha como certeza que um Bàbáláwo tem que primeiro ajudar a si mesmo. Depois ajudar a sua família, depois amigos e por último as pessoas em geral. Observe muito bem o Bàbáláwo e a casa dele. Observe quem os cerca. 

Você não vai saber disso quando for consultar, mas, antes de fazer alguma coisa com ele após a consulta, avalie isso, observe ao redor, pergunte onde estão as pessoas ou quem são.

Antes de se envolver mais com uma pessoa que se diz sacerdote, observe os sinais externos que indicam quem é essa pessoa para depois não se arrependerem.