Pesquisar este blog

terça-feira, maio 21, 2013

Teologia Yorùbá

O Cosmo Yoruba - Parte 9

O nome de deus


Olódùmarè não é o único nome pelo qual o deus supremo é chamado. Existem outros nome, sendo que o mais comum é Ólórun (Ọlọ́run).
 

A divindade suprema Yorùbá pode, além disso, ser chamada por vários outros nomes além dos 2 citados: Éléda (Ẹlẹ́da), Aláyè, Élémi (Ẹlẹ́mí) e Ólójó oni (Ọlọ́jọ́ Òní). Isso para citar os mais conhecidos, mas, sem dúvida os 2 primeiros são os mais populares.

Os nomes na sociedade Yorùbá são um capítulo muito especial. Os Yorùbá acreditam enormemente na força das palavras. Esta força esta ligada ao axé (aṣẹ́) que existe no nosso corpo e sai pela respiração e também a força que as palavras tem. Eles acreditam em encantamento como um instrumento de força e nomes fazem parte disso.
 

Nomes representam força e trazem significados. Cada nome Yorùbá tem um caráter e um significado por si só. A nenhuma criança é dado um nome sem um motivo ou significado. Uma criança jamais recebe um nome sem ter nascido. Os nomes na maioria das vezes são sentenças ou abreviação de sentenças e frases, que tem significado direto e ligação com ancestres, com a condição de nascimento, com os pais e também eventos em torno do nascimento.
 

Uma pessoa pode ter até 3 nomes diferentes e o nome real somente é conhecido pelos pais. Os nomes não são falados em vão, jamais. Eles entendem que quem conhece o nome da pessoa pode abençoá-lo e amaldiçoá-lo.
 

A primeira forma de se conhecer uma pessoa é saber o seu nome e seu significado. Existem 3 tipos de nomes que uma pessoa poder receber. O primeiro é o nome dados por deus (Olódùmarè) que esta ligado ao seu nascimento. O segundo é o nome dado por Ifá e o terceiro é o nome escolhido pelos pais.

Eles serão usado com cuidado, preservando sempre o nome original da pessoa. Muita gente nem vai conhecer o nome verdadeiro de uma pessoa, essa, segundo eles, é também uma forma de se proteger.

A etimologia de nomes Yorùbá é alvo de muito estudo pelos próprios Yorùbá. Existe um habito de abreviar uma frase inteira em um nome. Também palavras são formadas pela junção de outras 2 ou 3 palavras ou uma longa palavra resume uma frase. Isso torna a língua deles, sob alguns aspetos, bastante complexa porque podem existir palavras e expressões muito regionais ou locais a determinados lugares. Além disso eles usam muita a figura da onomatopeia nas frases e neologismos aparecem o tempo todo.
 

O caso do nome de deus é a mesma coisa. Cada um dos nomes dele tem um significado.

Não temos um nome próprio em si para deus, mas, expressões que exaltam suas qualidade e poderes.

Infelizmente não existe consenso para o significa do nome Olódùmarè e nem vou entrar nesta discussão, porque se tem uma coisa chata é a infidável discussão do significado de uma palavra e o nome se soma a esse contexto.


Os Yorubas comenteram alguns enganos em sua existência como povo, na minha opinião ;e claro. Não ter uma escrita foi uma delas, isso atrasou demais o seu desenvolvimento e fez com que uma sociedade bastante evoluida fosse superada. Outra é a linguagem em sí, muito confusa.

Podemos ver longas controvérsias sobre significado de palavras, justamente devido ao problema causado pela forma como a lingua gera nova formas de expressão, com aglutinações, elisões, etc..  como ja comentei.

Não vou aqui gastar palmos de linhas falando sobre os possíveis significados de Olodumare, por exemplo....
 
Para os demais nome temos significados, assim:

Éléda (Ẹlẹ́da) – senhor da criação. Este nome é usado para outras divindades de forma que não esta associado exclusivamente a deus. A divindade pessoal de cada pessoa, Orí, também é chamada assim e o orixá (Òrìṣà) pessoal também.


Aláyè – O senhor da vida.


Élémi (Ẹlẹ́mí) – O senhor que dá o sopro da vida.


Ólójó oni (Ọlọ́jọ́ Òní) – O senhor do dia de hoje


Ólórun (Ọlọ́run) – O senhor do Órun (ọ̀run) o espaço supernatural


Eu poderia ainda citar mais alguns nomes que transmitem poderes e qualidade de deus, mas, o conceito é esse. O Livro Orun Aiye do Jose Beniste faz uma abordagem boa sobre este tema de nome, recomendo consultá-lo.


Ao dar a uma mesma divindade vários nomes, que não são nomes próprios em si, mas títulos e qualidades, os Yorùbá foram muito mal compreendidos pelos poucos cultos europeus que fizeram os primeiros e mal feitos estudos da religião e do povo Yorùbá. Eles acreditaram que ao se deparar com mais de um nome para designar a divindade suprema que haviam várias divindades supremas, o que não era verdade. Assim ao invés de uma divindade suprema eles entenderam que haviam muitas.


O nosso cosmo Yorùbá se inicia então com o entendimento que existe uma divindade suprema, da qual emana todo o poder e que controla toda a existência. Esta divindade criou o universo e todas as suas criaturas e é dela que emana todo o poder que controla a existência.


A divindade não tem gênero.

É importante entender que Olódùmarè criou todas as criaturas, todos somos criação de Olódùmarè e, cada criatura existente, tem a centelha de Olódùmarè. Não existe preferencia, todas as criaturas, humanos, animais, vegetais e minerais são criações de Olódùmarè.