Pesquisar este blog

quinta-feira, julho 24, 2014

A religião Yoruba no Candomblé

Parte 4

(leia as partes anteriores)


3. A religião Yoruba – definindo para que qualquer pessoa possa entender


Vamos entender o todo e gradativamente aumentando o nível de detalhe. Assim, todo mundo entende a mesma coisa e quem ler mais vai saber mais, mas, todo mundo entende o que precisa.

É importante notarem que não falo aqui de casas de candomblé. Eu falo aqui da religião do Candomblé, na verdade, como já expliquei de um segmento religioso, o Yoruba. O que ocorre com o Candomblé que torna absurdamente difícil entendê-lo, devido a sua heterogeneidade é que:

  • Pessoas falam de coisas diferentes (existem 2 religiões e 3 cultos, além das nações), como se fosse uma coisa só.


  • Pessoas misturam as coisas que falam. Seja por conhecer muito ou por não conhecer nada, ou por não entender esta estrutura, as pessoas misturam os assuntos, falando ao mesmo tempo disso tudo.

  • Pessoas misturam aspectos internos e externos em conversas. Existem temas que dizem respeito a religião, outros que dizem respeito a ritos e liturgias e são desta maneira assuntos internos para serem tratados, no máximo com pessoas que já pertençam à religião. 

  • As pessoas falam sobre aspectos religiosos junto com questões de convivência em casas que dizem respeito a natureza e convivência humana.

Na verdade essas coisas podem acontecer ao mesmo tempo. Muitas conversas ficam ininteligíveis.

As pessoas precisam separar o assunto religião da prática da religião. Precisam entender o que é teologia, e afirmo que muitos precisam aprender a teologia da própria religião e não podem misturar as coisas como eu expliquei acima.



Toda religião tem uma estrutura comum, na qual você tem uma camada externa com uma teologia geral, que pode ser conhecida e “consumida” por todos, uma outra camada mais interna com uma teologia mais profunda e detalhada com informações que dizem respeito a iniciados e com mais profundidade aos sacerdotes e na parte mais interna o conhecimento de ritos e liturgias que dizem respeito apenas a um grupo restrito de sacerdotes da religição.

Esta estrutura não é especial do Candomblé, é comum a qualquer religião.

Ao lado deste tema teológico existem outras questões relativas a práticas do dia a dia, hábitos, regras e aspectos da convivência humana. É um tema vasto mas não tem relação com a teologia da religião, tem a ver apenas com as pessoas que convivem na religião.

As pessoas precisam estruturar o seu conhecimento e diálogo para tornar a religião que praticam inteligível para as pessoas. Nem todo mundo na religião tem que ser sacerdote. Nem todo mundo nessa religião tem que ser  Iyawo, isso é um erro.

A religião existe também para pessoas que querem viver, querem ser felizes, querem atingir o seu destino e querem ter fé em deus.

Este texto tem como objetivo abordar a parte externa da teologia, aquela que qualquer pessoa pode e deve entender.