Pesquisar este blog

domingo, julho 05, 2015





Perguntas & Respostas (1)


A seguir, perguntas que foram encaminhadas por email e que estarei respondendo aqui no Blog


A pergunta a seguir estava em um comentário da postagem sobre Odù negativo no Candomblé

Então como faz para descobrir o odu? E tb me pergunto, porque esses trabalhos, oferendas, são tão caros? Se são remédios espirituais que ajudam a elevar e abrir caminhos, se isso é ajuda ao próximo e harmonização com os orixás, porque cobram tão caro e sempre exigem ebós?
Sinceramente, não entendo

R. Conforme tenho explicado aqui no Blog em vários textos, a determinação do Odù da pessoa, o Odù de Nascimento é feita apenas por uma cerimônia de Ifá entre o terceiro e o oitavo dia após o nascimento. É feita no recém nascido. Depois disso nunca mais, exceto se a pessoa vir a ser Babalawo porque existe uma cerimônia que resgata esse Odù.

Dessa maneira todos os métodos que existem por ai para determinar Odù de nascimento são bobagens, enganações. Tem gente que faz continha com data de nascimento, essas pessoas não sabem nada de Odù ou de Ifá ou dessa religião.

O Odù que sai na consulta do oráculo, seja de búzios ou seja de Ifá é um Odù temporário, é uma resposta para aquele momento. Não serve mais para a pessoa depois.

A questão da cobrança é apenas COMERCIAL. De fato, tudo é muito simples. Em Ifá chega a ser mais simples que no Candomblé uma vez que este último tem uma riqueza litúrgica muito maior.

O que fazemos é equilibrar o axé da pessoa. Os ebós são um instrumento para esse equilíbrio. Trata-se de repor axé. A base desta religião é o axé e o seu equilíbrio. O ebó ou a oferenda (adimu ou sacrificio) são necessários para isso. 

As pessoas cobram o que querem. Sugiro não pagar se achar absurdo, como muitas vezes o é. Tem gente que cobra para passar uns ovos na pessoa, isso é um absurdo. 


Muito bom ler isso.. minha cabeça anda dando um nó, um pai de santo insiste em dizer que tenho o odu negativo e que tenho que positivar a cada três meses fora outros que por isso minha vida ñ anda... mas eu sempre tenho uma pulga atraz da orelha.. sinceramente quase fico doida de preocupação e decidi me afastar..

R. Faz bem. Esse procedimento de ficar tirando negatividade continuamente de vocês visa apenas tirar seu dinheiro.

Como falei, o odù das pessoa vem apenas no nascimento. A pessoa que está fazendo isso com você deve ter feito aquela continha com a data de nascimento. Ele não sabe de nada de Odù.

Se você de fato tem um problema na sua vida, o que ele não sabe é determinar qual é.

Em Ifá você vai encontrar resposta sobre sua vida. Nem tudo é ebó e oferenda. A parte mais importante de uma consulta é a conversa do Babalawo com o consulente. É a palavra do Babalawo que tem o axé de Orunmilá.

O Babalawo tem que, através dos Odù, entender as questões da pessoa, o que atrapalha sua vida e destino, entender o que seu ori e orixá indicam para poder conversar com essa pessoa sobre isso. Falando coisas e tendo dessa pessoas respostas e confirmações. Isso é feito com muita calma e bom senso. São usadas muitas histórias (versos de Ifá) para a pessoa poder analisar sua vida.

A pessoa tem que entender que atitudes ela toma incorretamente na vida, que atitudes dela a levam a ter problemas, entender as mudanças e transformações que ela deve fazer como pessoa. Nem tudo de problema na vida de uma pessoa é feitiço ou é resolvido por ebó.

Claro que o Babalawo vai também saber que problemas ele pode resolver pela via espiritual ou como prefiro dizer pela via supernatural. Existem coisas que ele pode afastar, coisas que ele pode ajudar a trazer e equilíbrios de axé que ele pode executar.

O conjunto dessas ações é que vai trazer o sucesso. Tem pessoas que tem, problemas simples e outras mais complexos. Claro que existem problemas envolvendo o pré-nascimento a vida no Orun e que se refletem aqui.

Quando a pessoa tem essa visão de conjunto, bom senso, humildade, sinceridade e sabedoria ele vai buscar isso. O simples se resolve de forma simples e o complicado de forma complexa.

O Babalawo não deveria ser um fazedor de ebós, antes de tudo ele é o porta-voz de orunmilá.

O mesmo procedimento deveria vir também de babalorixás e iyalorixás que se arvoram a usar o oráculo para consultar pessoas. Se a pessoa esta preparada para o que vai fazer ele o faz da forma correta.

O que temos em geral são pessoas despreparadas, que pegam aqueles búzios e usam apenas a sua mediunidade para consultar pessoas. Eles pouco resolvem ou resolvem apenas as coisas imediatas, aquelas o que sua mediunidade permite, elas não vão a fundo no problema das pessoas.

Nesse caso ebó funciona como se fosse analgésico. Passa o efeito você precisa de outro. O problema mesmo continua lá.

Tem Babalawo que apenas consulta com Opele e que faz consultas em meia hora ou menos, trabalham iguais a jogadores de búzios. São tiradores de ebó.


Ifá não é ebó. Ifá é a palavra de orunmila.